Você sempre falha nas seus planos de Ano Novo? A Neurociência te ensina 8 dicas para alcançá-los

Siga o TUDO SOBRE CONTROLE NEURAL no facebookno instagram e no twitter

Por Laiali Chaar

getty-images

Fonte da imagem: Getty images

Mande o link dessa reportagem para sua(seu) amiga(o) que está em busca de ser alguém melhor em 2017>>>

           Ano novo, muitas vezes, significa uma nova lista de novos planos. Você pode não perceber, mas a partir do momento que você acorda até quando vai dormir, você está agindo e pensando de acordo com seus hábitos. Nós, seres humanos, somos feitos de hábitos. Muitos de nossos pensamentos e ações hoje são os mesmos de ontem e serão repetidos os mesmos amanhã. Os hábitos tornam nosso cérebro mais eficiente porque permitem que eu faça tudo no “automático” para que meu cérebro não seja sobrecarregado pensando em cada minúscula ação feita.

        Nossos hábitos podem ser bons, ruins ou neutros. A maioria dos hábitos é neutra como: fazer o mesmo caminho para ir trabalhar todos os dias ou sentar na mesma cadeira na sala de aula ou no ônibus. Um hábito bom seria escovar os dentes ou exercitar-se diariamente. Um hábito ruim seria falar algo negativo ou comer meio quilo de chocolate depois do jantar todas as noites.   

      Os pesquisadores descobriram várias regiões cerebrais e circuitos que são necessários para formar e armazenar os hábitos. O principal centro de coordenação é o núcleo estriado, um dos núcleos da base. O estriado forma um circuito entre o córtex pré-frontal, onde são produzidos o raciocínio e o pensamento e o mesencéfalo, que controla os movimentos. A maioria desses neurônios dos hábitos libera dopamina que é o hormônio da recompensa e prazer. Um mau funcionamento do estriado é visto  em pessoas em que os hábitos tornam-se desordenados, como pessoas com transtornos obsessivo-compulsivo (TOC) e vícios.

         Durante a formação do hábito, você repete pensamentos ou ações repetidamente, fazendo com que os neurônios no circuito córtex pré-frontal-estriatal-mesencéfalo fiquem cada vez mais ativado. Uma vez que esses neurônios ficam mais ativados a informação é armazenada e outra região do cérebro, o córtex infralímbico, entra em jogo. Nele os hábitos serão acionados mais rápido através de pistas. Como quem está acostumado a comer sobremesa depois do almoço e sente vontade de comer um doce toda vez que almoça. Os planos feitos por nós no Ano Novo são tentativas de mudar nossos hábitos.

Mas por que você muita gente falha nos seus planos de Ano Novo? A neurocientista te ensina 8 dicas para diminuir a chance disso acontecer com você

Uma pesquisa foi feita por um psicólogo britânico com 3000 pessoas com planos de Ano Novo de perder peso, ir à academia, parar de fumar ou beber menos. No inicio 52% das pessoas estavam confiantes que conseguiriam atingir suas metas, mas no fim do ano 88% falharam. A partir disso, foram testados vários métodos para aumentar o sucesso dos planos de ano novo. Essa e outras pesquisas da Neurociência concluíram que há 8 passos para nossos planos terem mais chance de acontecerem:

1) Escreva uma lista com 5 coisas que foram boas em 2016 e com 5 coisas que não foram que você pretenda mudar. Leia em voz alta. Escrever e ler em voz alta ajuda a sua mente a internalizar os objetivos;

2) Faça isso refletindo durante vários dias, para não ser levado(a) por impulsos do momento;

3) Seja bem específico e pessoal. Cada pessoa tem seu planos.

4) Se você é homem, tente metas reais capazes de serem atingidas. Por exemplo: nada de querer ficar super malhado em um mês. Ao invés disso pense: vou perder 2 kg por mês ou se concentre nas consequências do seu objetivo por exemplo: se eu parar de fumar vou ficar mais atraente. Homem que fazem isso têm mais sucesso;;

Se você é mulher conte a amigos e familiares suas metas. O apoio de pessoas queridas irá te ajudar. E seja persistente: se seu plano for ir à academia e você faltar um dia não se torture nem desista. Continue tentando. Novos hábitos levam muito tempo para serem aprendidos. Mulheres que fazem isso têm mais sucesso;

5) Seja paciente e preste atenção no que está sentindo sobre isso.  Diga para você mesmo “bom trabalho” cada vez que atinge um passo do plano;

6) Na primeira semana faça uma meta mais fácil de ser cumprida e coloque um papel a vista para te lembrar dela. Por exemplo: subir um andar de escada. Uma mudança deve ser repetida de 18 a 254 vezes para se tornar um hábito no cérebro. Então persista;

7) Periodicamente, repita os primeiros 4 primeiros passos. Pense: O que você quer mudar? O que isso significa para você? E a principal pergunta é: você quer mudar? Não precisamos de uma data para começar de novo ou querer ser uma pessoa melhor…

8) Reveja a lista que fez ao final do ano para se autoavaliar. Você conseguiu atingir suas metas? E por que conseguiu ou não conseguiu?

A mudança é difícil para todos. Haverá falhas. Haverá recaídas. Haverá velhos sentimentos voltando.  Isso é normal.  Mas querer mudar já é um grande progresso! Boa sorte! Depois me conte no inbox como foi!

Para saber mais:

WISEMAN, R. (2007): “New Years Resolution Experiment,” Publicado online

https://richardwiseman.wordpress.com/

Nicole Gravagna. Jesse Lee Gray. MindSET your manners. e-book. 264 páginas,.2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s