Encontrados neurônios que contraem o abdominal e diminuem estresse

Siga o TUDO SOBRE CONTROLE no facebook, no instagram e no twitter

Por Laiali Chaar

19260254_723274834545440_5307392749296793391_n.jpg

A Neurociência do Pilates>>>> E bomba da semana >>>> Você que já praticou Pilates deve ter reparado que é relaxante. Até aí tudo bem. Mas por que? Um estudo de Neurociência encontrou uma explicação para isso e não é nada do que você deve ter imaginado….  É isso mesmo que você leu, este estudo descobriu que o estresse é controlado também pelos neurônios que contraem seu abdominal.

Talvez isso explique por que quando você vê alguém deprimido ou estressado, você percebe mudanças na postura da pessoa.

Nesse estudo, os neurocientistas da Universidade de Pittsburgh mapearam de onde vem os neurônios que controlam a medula adrenal, órgão que fica em cima do rim e libera hormônios do estresse como o cortisol e a adrenalina que fazem seu coração disparar, você suar e sua pupila dilatar quando está estressado. Eles descobriram que muitos neurônios que controlam a medula adrenal são os mesmos que contraem o abdominal e os músculos das costas, que é feito durante todos os exercícios de Pilates.

Outro estudo mostrou que a inspiração pelo nariz melhora a memória e diminui a resposta ao medo porque os neurônios da respiração ativam neurônios que ajudam na memoria.

Além disso, um terceiro estudo mostrou que Pilates aumenta a sincronização das ondas cerebrais na parte frontal e temporal do cérebro, o que sugere que o Pilates aumenta a função cerebral e quem sabe o raciocínio. Mas isso precisa de mais estudos para ser confirmado.

Então, treinar Pilates vai te ajudar a quando alguém te insultar você pode ter uma resposta mais equilibrada e ignorar o insulto ou fazer um retorno com bom humor. A Neurociência prova mais uma vez como corpo e mente estão muito próximos e para ter um bem estar e ser feliz necessário trabalhar os dois.

Para saber mais:

Dum RP, Levinthal DJ, Strick PL. Motor, cognitive, and affective areas of the cerebral cortex influence the adrenal medulla, v. 113(35), p. 9922-7, 2016.

Inspiração afeta memória e respostas ao medo. Laiali Chaar. Tudo Sobre Controle. 2017.

Bian Z, Sun H, Lu C, Yao L, Chen S, Li X. Effect of Pilates training on alpha rhythm. Comput Math Methods Med., v. 19, 2013.

Anúncios

Novo sabor é descoberto em estudo

Siga o TUDO SOBRE CONTROLE no facebook, no instagram e no twitter

Por Laiali Chaar

neurociência dos sentidos

       Bomba da Neurociência 🔥🔥🔥>>> Descoberto novo sabor 👅 >>> A Neurociência dos sentidos 👂👃👁👅👋>>> Neurocientistas americanos descobriram em setembro que nosso paladar pode distinguir um sexto tipo de sabor, além dos cinco já conhecidos: salgado, doce, azedo, amargo e umami. O novo sabor é o amido. E isso pode ajudar a explicar porque gostamos tanto de comer carboidrato. Ele é o gosto de arroz, pão, macarrão ou farinha 🍚🍞🍝.

       Se você ainda não ouviu falar no umami, ele está relacionado ao Ajinomoto e está presente naturalmente em alimentos como leite materno, peixes, crustáceos, legumes, cogumelos e outros 🐡🦐🥒.

      Outro sabor recentemente identificado, mas que ainda não é oficial, é o kokumi, que seria o sabor dos alimentos com pouca gordura. Os gostos de cálcio, de bebidas gaseificadas 🍹, de gordura, de metal no sangue e de aminoácidos também estão sendo investigados se possuem papilas gustativas pelos neurocientistas.

Para saber mais:

Lapis TJ, Penner MH, Lim J. Evidence that humans can taste glucose polymers. Chem Senses. v. 39(9), p.737-47, 2014. 

 

Dormir pouco faz cérebro comer a si mesmo, mostra novo estudo

Siga o TUDO SOBRE CONTROLE no facebook, no instagram e no twitter

Por Laiali Chaar

IMG_0386

Dormir pouco faz seu cérebro comer a si mesmo, mostra novo estudo 😱 😴💤💤>>>
Imagine que enquanto você dorme o suficiente vai alguém na sua casa e joga o seu lixo fora 😇 E quando você dorme pouco essa mesma pessoa joga fora coisas que você precisa: sua TV, seu celular e sua geladeira 😈

Acontece algo semelhante com seu cérebro quando você dorme bem ou dorme pouco.
As células da glia e microglia durante o sono fagocitam, ou seja, digerem e eliminam do cérebro muitas substâncias tóxicas acumuladas durante o dia e memórias que não importantes. Isso é benéfico para guardar as memórias importantes 😇 Só que um estudo publicado semana passada por neurocientistas da Universidade politécnica da Itália 🇮🇹 mostrou que quando dormimos pouco o cérebro elimina também neurônios e sinapses que precisamos 😈😱 E, neurolover, não adianta dormir 2 horas por noite na semana e 20 horas no fim de semana. Acontece o mesmo. Então, cuide de seu sono, cuide de si. ❤ Com um edredom melhor ainda como já vimos aqui. ❤😴💤💤 Para saber mais acesse o link na BIO. 📷: células da glia @mirror.neuron

Para saber mais:

Michele Bellesi, Luisa de Vivo, Mattia Chini, Francesca Gilli, Giulio Tononi and Chiara Cirelli. Sleep Loss Promotes Astrocytic Phagocytosis and Microglial Activation in Mouse Cerebral Cortex. Journal of Neuroscience, v.37, p 5263-5273 2017.

 

Falar palavrões diminui dor física e emocional, afirma novo estudo

Siga o TUDO SOBRE CONTROLE no facebook, no instagram e no twitter

Por Laiali Chaar

palavrãoFalar palavrões diminui dor física e emocional, afirma novo estudo 😤😡 $@€*# $& @ú! .

A Neurociência do palavrão >>> Já reparou que quando você bate o pé em um móvel ou prende o dedo na porta já é automático: um palavrão bem cabeludo. E isso tem uma função benéfica para a mente. Quem xinga seus males espanta!! Um novo estudo publicado semana passada confirmou que falar palavrões em voz alta 📢 pode aliviar a dor física e a emocional.

A dor física é aquela de uma lesão ou doença e dor emocional é aquela quando levamos um fora por exemplo ou estamos sofrendo. Esse estudo mostrou que não devemos ser tímidos com a boca suja quando estamos com dor no coração, sentimentos feridos, sofrimento, angústia, sofremos abuso ou trauma. Mas atenção ⚠️ falar palavrões o dia todo diminui esse efeito. Reserve para quando estiver precisando mesmo.

Pesquisas anteriores mostraram que pessoas com sentimento de rejeição ou que se sentem sozinhas sentem maior dor física.

Esse foi o primeiro artigo que estudou o efeito dos palavrões na dor emocional. Entre 70 pessoas as que falaram palavrões em voz alta sentiram uma dor emocional menor do que os que não falaram. Mas ainda não há explicação do porquê isso acontece.

Quando falamos palavrões ativamos a amígdala, não a da garganta mas sim a região do cérebro que é responsável pelos sentimentos incluindo raiva. 😡👌🏻🖕🏻 Permita-se xingar de vez em quando. Claro que em situações certas. Não saia xingando seus colegas, clientes, pacientes, professores, alunos, chefes ou amigos. Xinguem no espelho, mores.