A Neurociência dos cachorrinhos

Por Laiali Chaar

3.jpg

Curta o TUDO SOBRE CONTROLE no facebook, siga no instagram e no twitter       

         Como não amar esses animaizinhos iluminados que nos dão tanto carinho? Hoje você vai saber o que a Neurociência já sabe que se passa na cabeça desses peludinhos fofinhos.

     Você sabia que é provável que seu cão sonha com você? Segundo a psicóloga Deirdre Barrett que estudou anos os sonhos em Harvard, cachorros provavelmente sonham com o rosto, cheiro e que estão agradando ou incomodando seus donos.

     A Neurociência já comprovou também o que todos os donos já tinham certeza: cães entendem o que você diz e como diz como os humanos. Um artigo publicado mês passado na revista Science, uma das mais importantes do mundo, com ressonância magnética nos cérebros melhores amigos do homem provou que os cães também compreendem o seu sentimento quando fala. Fofo ❤❤

       Outra pesquisa mostrou que os cães tem consciência de que existem. Ou seja, nós não somos os únicos animais com essa percepção.

        Por essas e outras eles merecem ser tratados com respeito também. Então, aperte o seu cão fofinho o quanto puder agora para ele se sentir bem amado.

Quer saber mais?

Andics, A., Gábor, A.,  Gácsi, M., Faragó, T., Szabó, D., Miklósi A.. Neural mechanisms for lexical processing in dogs. Science  02 Sep 2016.

Andics A, Gácsi M, Faragó T, Kis A, Miklósi A. Voice-sensitive regions in the dog and human brain are revealed by comparative fMRI. Curr Biol. 3;24(5):574-8, 2014

Roberto Cazzolla Gatti. Self-consciousness: beyond the looking-glass and what dogs found there. Ethology, Ecology and Evolution. Published online November 13 2015 

Gregory Berns. How Dogs Love Us: A Neuroscientist and His Adopted Dog Decode the Canine Brain Hardcover – October 22, 2013.

Berns GS, Brooks AM, & Spivak M (2012). Functional MRI in awake unrestrained dogs. PloS one, 7 (5) PMID: 22606363

Anúncios

A Neurociência do horário de verão

Por Laiali Chaar

imagem-agencia-fapesp

Imagem: Agência Fapesp / Instituto Brainn. Ressonância magnética funcional mostrando a ativação de neurônios de uma pessoa durante o sono nas áreas vermelhas e azuis.

       O corpo humano leva pelo menos 14 dias para se acostumar ao horário de verão segundo um estudo brasileiro

      Com a mudança no horário somos obrigados a acordar uma hora mais cedo e isso modifica o funcionamento do organismo. O sol em horários noturnos faz o cérebro produzir menos melatonina, o hormônio que regula o nosso sono. A diminuição de melatonina faz a pessoa ficar mais cansada, irritada, mal-humorada e com mais sono. Quem nunca?

         A diminuição do tempo de sono aumenta a produção de cortisol, hormônio do estresse estimulado pelo hipotálamo no cérebro. O cortisol nos deixa mais cansados, irritados, retem liquido e diminui nossa imunidade aumentando a chance de ficarmos doentes :O.

         Aos poucos o corpo começa a “se acostumar” com a nova rotina. Então, ai vão algumas dicas para ajudar nisso e diminuir os sintomas: acordar 15 minutos mais cedo em cada dia, dormir alguns minutos mais cedo na primeira semana de horário de verão, dormir no mesmo horário e em um ambiente escuro e silencioso, evitar o uso de televisão, celular, consumo de cafeína, alimentos pesados e exercícios antes de dormir. Boa sorte meus amores e força nessa primeira semana de horário de verão!

Para saber mais:

Guilherme Silva Umemura. Análise da ritmicidade circadiana nas transições do horário de verão. Tese, Universidade de São Paulo, 2015.

Yoo, S-S., Gujar, N., Hu, P., Jolesz, F.A., & Walker, M.P. (2007). The human emotional brain without sleep – a prefrontal amygdala disconnect. Current Biology, 17, 877-878.